Acaso Inebriante.:
Namore Uma Mulher Que Sorria

Namore uma mulher que sorria. Ela vai te ensinar que são nas coisas mais simples da vida que estão os momentos mais importantes. Namore uma mulher que sorria. Ela vai te ensinar a não pensar demais, a jogar fora o guarda-chuva, a acabar com a timidez, a conversar mais do que permitido, a tomar banho no rio.

Namore uma mulher que sorria. Ela vai te ensinar a rir de todas as coisas esquistas da vida e, principalmente, a não ligar para o que os outros pensam. Namore uma mulher que sorria, mesmo sem fazer nenhum som, de uma forma totalmente louca. Você vai ter vontade de abraçá-la. Namore uma mulher que sorria. Ela vai te ensinar que ser sério não tá com nada – a seriedade é duvidosa, a alegria é interrogativa.

Namore uma mulher que sorria. Ela vai te ensinar que paixão e satisfação caminham de mãos dadas. Namore uma mulher que sorria. Ela vai te ensinar a ser imprudente, porque, se andar sempre em linha reta, não terá historias para contar. Namore uma mulher que sorria. Ela vai te ensinar a chorar nos filmes bobos e a dormir nos filmes chatos. Namore uma mulher que sorria. Ela vai te ensinar que ninguém deve julgar seus defeitos.

Namore uma mulher que sorria. Ela vai te ensinar, por mais que você esteja sofrendo, que um sorriso sempre alivia um pouco. Namore uma mulher que sorria. Ela vai te ensinar que, às vezes, é preciso chorar, porque se você procurar felicidade eterna, não encontrará. Namore uma mulher que sorria. Ela vai te ensinar que amor não precisa de papel assinado. Namore uma mulher que sorria. Ela vai te ensinar a não arrumar a casa na segunda-feira, a não sofrer com o fim do domingo.

Namore uma mulher que sorria. Ela vai te ensinar que, às vezes, começar de novo é exatamente o que uma pessoa precisa. Namore uma mulher que sorria. Ela vai te ensinar que as mulheres não são frágeis. Elas só querem alguém para sorrir junto.

 0 notas ♎ Reblog   
Nunca namore uma garota que viaja

image

Ela é aquela menina que tem  cabelo bagunçado, descuidado e queimado de sol. Sua pele agora está longe daquele tom pálido que costumava ter. Não chega nem a ser bronzeada. É queimada mesmo, com várias marcas de sol, cicatrizes e picadas por toda parte. Mas para cada marca em sua pele, ela tem uma história interessante para contar.

Nunca namore uma garota que viaja. Ela é difícil de agradar. O tradicional jantar e cineminha não vai funcionar com esse tipo de garota. Sua alma clama por novas experiências e aventuras. Ela nunca se impressionará com seu novo carro ou com seu relógio caro. Ela preferiria estar escalando uma montanha ou saltando de paraquedas do que ficar ouvindo você falar essas coisas chatas.

Nunca namore uma garota que viaja. Ela vai ficar te enchendo para fazer uma reserva toda vez que rolar alguma promoção de passagem aérea. Ela não vai querer ir aos bares da moda e ela nunca vai pagar mais de R$100,00 para entrar em algum  lugar. Porque ela sabe que um fim de semana na balada equivale a uma semana em algum lugar bem mais interessante.

Muito provavelmente ela não conseguirá manter um emprego fixo. Ou provavelmente ela vá ficar o tempo todo sonhando em pedir demissão. Ela não está disposta a ficar ralando para realizar o sonho de outra pessoa. Ela tem seus próprios e está trabalhando para realiza-los. Ela é freelancer. Ela faz dinheiro com seus desenhos, textos, fotografia ou outra coisa que exija criatividade e imaginação. E não ouse desperdiçar o tempo dela reclamando do seu emprego chato.

Nunca namore uma garota que viaja. Ela deve ter desencanado de seguir a carreira na qual se formou e mudou completamente de profissão. Agora ela deve ser instrutora de mergulho ou professora de yoga. Ela nem deve saber quando vai receber o próximo contra-queche. Mas ela não trabalha o dia inteiro feito um robô. Ela se joga e recebe o que a vida tem a oferecer e ainda te desafia a fazer igual.

Nunca namore uma garota que viaja porque ela escolheu uma vida de incertezas. Ela não tem planos e nem endereço fixo. Ela deixa a vida a levar e segue os desejos de seu coração. Ela dança na batida da sua própria música. Ela não usa relógio, seus dias são regidos pelo sol e pela lua. Quando as ondas chamam, a vida pára e ela fica alheia a tudo naquele instante. Mas ela também aprendeu que a vida não é só surf.

Nunca namore uma garota que viaja porque ela costuma dizer o que pensa. Ela nunca se esforçará para impressionar os seus pais ou seus amigos. Ela sabe respeitar os outros, mas não vai ter medo de debater sobre assuntos mundiais ou responsabilidade social.

Ela nunca vai precisar de você, ela sabe armar uma barraca e colocar as quilhas na prancha sozinha. Ela cozinha e não precisa que você pague suas refeições. Ela é independente demais e não vai estar nem aí se você for viajar com ela ou não. Ela vai esquecer de avisar você quando chegar ao destino, ela está muito ocupada vivendo o presente. Ela fala com estranhos, ela vai encontrar um monte de pessoas interessantes do mundo todo que pensam como ela e dividem os mesmo sonhos e paixões. Ela vai ficar de saco cheio de você.

Sendo assim, nunca namore uma garota que viaja a não ser que você consiga acompanhá-la. E caso você, sem querer, se apaixone por uma, não ouse prendê-la… Deixe a ir.

Texto escrito por alguém que namorou uma viajante física e espiritual.

A cura

Acostume-se com o fato do amor estar em tudo. Na fila de um banco, na padaria ou dentro das escolas. Você vai encontrar o amor quando ver um jovem casal sorrindo ao caminhar de mãos dadas ainda com o uniforme do colégio, vai percebê-lo quando um neto der o lugar a sua avó no ônibus ou quando um pai abraçar ternamente a filha que sentou-se em sua coxa e fielmente acreditou que aquele era o lugar mais confortável do mundo. Não adianta você negar e dizer que não confia ou não acredita no amor. Porque aquele bolo de chocolate que sua mãe fez para arrancar-lhe um sorriso é puro amor. Porque aquela vez em que seu melhor amigo bateu a porta do seu quarto chateado por algo que você disse sem pensar, aquilo também era amor. A lágrimas que você derramou e só o seu travesseiro conseguiu absorvê-las também era amor. A questão não é o que machuca e sim o que cura. Se tem uma frase que faz sentido na minha cabeça, sem dúvidas, é que o amor cura. Porque é o que ele faz. Não digo homem e mulher, cama e edredom. Esse ai também cura, mas é outra história. Eu falo sobre aquele beijo no joelho que sua mãe dava e prometia sarar. Eu digo sobre o abraço terno de uma tia que se preocupa de verdade com você ou por amigos que são capazes de ficar na sua casa em um sábado de verão pelo simples fato de você não poder sair porque aquela sinusite atacou e você não consegue andar de dor de cabeça. Esse é o amor que cura. Cura feridas, sinusite, sábados tediosos e domingos duas vezes mais. É o amor que cura os outros amores que vacilaram e se perderam. É o acreditar outra vez que te faz amar. Não me entenda mal, isso não é mais um discurso de positivismo para você levantar da cama e recomeçar sua vida. Isso é mais um discurso para te acostumar com a verdade. Não dá pra fugir do amor que sua mãe coloca na comida que ela faz, logo não é possível fugir de algo que você tem tentado fugir. Você tem gastado suas forças de forma errada, desculpa pela sinceridade, mas não vai rolar. Bate de frente e aceita que as doses diárias que você recebe estão por toda parte e é mais fácil baixar a guarda do que levantar muralhas que depois vão te dar um trabalhão para serem derrubadas. Todas as vezes que eu resolvi negar, me arrependi. Todas as vezes que tentei lutar contra algo que chega e bate o pé dizendo que vai ficar e não tem quem tire, eu perdi. Não dá pra lutar com a verdade e com o instinto: você nasceu sim para viver um grande amor. Por mais errado que tudo tenha dado, por mais errada que sua história possa parecer, ainda assim, existe amor nela. E sempre vai existir. Abre os olhos, veja quantos atos de amor você recebe durante as 24 horas do seu dia. Digo e repito que o amor cura porque me curou. Porque me cura todos os dias e eu faço questão de deixar com que ele seja o melhor remédio de todos e sem contraindicações.

Temos essa ânsia de amar e o medo de não sermos amados. Por tantas vezes não nos permitimos a entrega ao que chega, pelo simples receio de que não vai dar certo. Mas como? Como ter certeza disso? Não há… somos fracos por natureza, somos reféns de nossas decepções, de nossas angústias. Ao mesmo tempo somos algozes do amor que poderia vir para nós, mas não deixamos se aproximar. Fechamos as portas, as janelas… nem mesmo uma fresta para que o Sol entre de mansinho em nosso quarto, nem mesmo uma brecha para que os pingos de chuva possam molhar nossos rostos. Que nos vistamos de nosso melhor sorriso sempre para que chegue a nós todo o amor que merecemos.
O Efeito do Tempo e a Mutabilidade das Coisas


Deveríamos ter sempre diante dos olhos o efeito do tempo e a mutabilidade das coisas, por conseguinte, em tudo o que acontece no momento presente, imaginar de imediato o contrário, portanto, evocar vivamente a infelicidade na felicidade, a inimizade na amizade, o clima ruim no bom, o ódio no amor, a traição e o arrependimento na confiança e na franqueza e vice-versa. Isso seria uma fonte inesgotável de verdadeira prudência para o mundo, na medida em que permaneceríamos sempre precavidos e não seríamos enganados tão facilmente. Na maioria das vezes, teríamos apenas antecipado a ação do tempo. Talvez para nenhum tipo de conhecimento a experiência seja tão imprescindível quanto na avaliação justa da inconstância e mudança das coisas. Ora, como cada estado, pelo tempo da sua duração, existe necessariamente e, portanto, com pleno direito, cada ano, cada mês, cada dia parecem querer conservar o direito de existir por toda a eternidade. Mas nada conserva esse direito, e só a mudança é permanente.

Ninguém deve nada de si mesmo à alguém. Nem tempo, nem atenção. Estive pensando, as pessoas tem tendencias a se tornarem legítimas sanguessugas, procuram o que é confortável, e vão levar tudo de você. Eles nunca deixam nada além de tempo perdido, e suas dúzias de problemas que pouco importam. Não há conclusão. Estamos presos nesse ninho, é inevitável. Você será usado. Vão parecer bons amigos com boas falas, mas é tudo decorado, o mundo é um saco de falsidade, e sem que você note, vão espremer sua mente igual uma laranja para beber suas ideias. Uma hora você não terá mais nada que possa saciar essa sede infinita que engole o universo, isso tratá irritação, que mais tarde se transformará em ódio. Você se sentirá feliz por estar longe de todos, por não aguentar o peso de explicar o que é ser uma casca vazia e cheia de dúvidas. Talvez você se torne mais um dos que usam as pessoas como válvula de escape para preencher a alma que te roubam. Se você resistir a isso, mesmo que te falte algo, você estará sempre um passo a frente. Se tornará uma pessoa melhor. E terá o prazer de dizer que já não tem tempo pra se tornar o objeto que escuta e sorri. Foda-se todos, ter problemas não nos dá o direito de entupir os ouvidos alheios de pessoas que mal conhecemos, como se estivessem nos fazendo um favor. O melhor favor é deixar as pessoas em paz, e parar de roubar aquilo que não se pode devolver.
 0 notas ♎ Reblog   

Hoje, sentado na varanda da minha casa me lembrei de uma ex namorada minha. Ou de todas. Pensativo, cultivei em mim todas as saudades que elas ainda me cedem e resolvi sorrir com isso. Como sempre faço quando lembro de como é gostar de alguém.

Hoje talvez exista outro cara dividindo a cama contigo, contando as mesmas piadas que eu te contava e mordendo o lóbulo da sua orelha – ainda se morde lóbulos de orelha? Na verdade, eu sei que existe, mas só quis criar uma hipótese para parecer mais descolado. De qualquer forma, só espero que ele saiba o quão você gosta de café, e assim, apreciar o charme que é você segurando a xícara com as duas mãos como se estivesse protegendo a Rainha da Inglaterra. Espero também que ele tenha noção de como você não gosta quando te mordem muito forte. E, claro, que ele saiba como você gosta de fazer sexo em lugares inusitados. Quer dizer, acho que essa parte ele nem precisa saber.

Talvez, se hoje eu te conhecesse de novo, ficaria contigo mesmo se você fumasse dois maços de Derby. Por dia. Não porque eras linda e me chupava com aquele olhar de “te devoro”, mas porque depois de viver um pouco enalteci as qualidades que você tinha. Coisas da vida. Que, como sabes, não me arrependo. Eu tinha que viver, viajar e me despertar à vida. Você sabe que era o melhor pra mim e, esse respeito que você teve pelo meu momento é, com certeza, um dos meus maiores motivos de orgulho de ter sido teu namorado.

Por mais que eu não tenha pintado a bunda de vermelho e declamado nosso amor em rede nacional, saiba que, no auge das minhas poucas palavras você pintou de mão colada comigo um pouco da minha história. Espero que lembres de mim como lembro de ti, dos detalhes, das viagens e, claro, das roupas e sapatos que eu tanto reclamava. Lembra como eu era pentelho? Eu mudei um pouco, mas admito, continuo achando pés algo de seres de outro planeta. E sim, também continuo achando que uma minissaia perde seu charme quando o intuito é convencer alguém, somente com aquilo, que ali existe um mulherão.

E, acredite se quiser, ainda guardo todas as nossas fotos. Não por algum motivo especial, ou por devaneio louco, mas porque acho gostoso lembrar das nossas histórias e pontuá-las como fases necessárias em uma vida de momentos tão felizes. Espero que guardes também. Mas, se não o fizer, pelo menos não as jogue fora, revelei todas com tanto carinho…

Então, hoje no auge do meu pouco afeto, te digo: nunca vou te esquecer. Até porque não tenho problema de memória. Você me ensinou tanta coisa, a ser um homem mais sorridente e feliz por curtir os pequenos prazeres da vida. Queria ter curtido mais você, confesso, ter lhe dado mais atenção e me preocupado menos com o trabalho. Mas talvez, esse texto seja um pouco do que eu tanto quis pra mim. Espero que estejas com orgulho de mim.

Saiba que meu beijo continua doce, meu sorriso espraiado e meu puxão de cabelo com a mesma firmeza de sempre – dizem. E como sei que você gostaria de saber: sim, ainda durmo rente a parede e ocupo metade da cama. Ainda gosto do frio e ligo o ar no mais gelado só para camuflar-me por baixo das cobertas. Ainda falo gesticulando com as mãos e gosto de brincar de lutinha todos os domingos de manhã. E, claro, ainda pareço uma criança quando fico doente.

Eu que sempre fui poeta da minha própria vida, espero sempre guarda-te na estante dos meus melhores feitos. E, que ao final desse texto, você sorria. Sem medo de eu estar te vendo. Só sorria com simples objetivo de saber que os nossos momentos serão sempre nossos. A gente foi um sonho que passou, mas seremos sempre uma lembrança-sorriso dentro dos nossos, um dia juntos, corações.

-

Uma carta para minha ex-sempre namorada

Juramento da Patrulha da Noite.

image

"A noite chega e agora começa a minha vigília.

Não terminará até a minha morte.

Não tomarei esposa, não possuirei terras, não gerarei filhos.

Não usarei coroas e não conquistarei glórias.

Viverei e morrerei no meu posto.

SOU A ESPADA NA ESCURIDÃO.

Sou o vigilante nas muralhas.

Sou o fogo que arde contra o frio, a luz que traz consigo a alvorada, a trombeta que acorda os que dormem.

O ESCUDO QUE DEFENDE O REINO DOS HOMENS.

Dou a minha vida e a minha honra à Patrulha da Noite.

Por esta noite e por todas as noites que estão por vir.”

 
Uma hora você vai precisar de mim, e posso ter perdido a vontade de te ajudar, como sempre fiz. Quem sabe você se lembre de mim quando eu finalmente me esquecer de você. Talvez a sua vontade de me amar, vire da minha parte uma amizade. O seu “sonho” aqui, pode já estar sonhando com outra. E se ainda assim for difícil de entender que eu sofri por você, esqueça tudo que escrevi e se lembre apenas de três palavras: você me perdeu!